Minha foto
Palavras são doenças esperando cura. Quando digo o que sou, de alguma forma, eu o faço para também dizer o que não sou.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Carta.

Me bateu uma saudade repentina. Uma dor no peito sufocante, senti a sua despedida e nem flores poderiam trazer uma fragrância suave a esta sala. Talvez pensando nos momentos alegres minimize um pouco a dor. Momentos em que ficamos ao telefone até o dia clarear, momentos que rimos de nada, ou, de nós mesmo. Momentos em que confessamos desejos, medos, e segredos de amores mal resolvidos. Sim, lhe tenho amizade, mas nunca neguei que queria ser o seu Carlo.
O seu namorado, o seu sonho realizado. Tenho uma admiração gigantesca por ti, uma sensação gostosa, dá vontade de chorar, mas me lembro que não posso, me lembro que sempre devo sorrir, lembro que se chorar terei vontade de fumar e serei novamente um pecador perante à ti, querida , ah, já ia me esquecendo você acha que soa como falsidade este “querida”, mas, não, meu anjo, não torne a pensar, isso, é só uma forma de disfarçar a vontade que tenho de lhe chamar de “meu amor”.

E quando as horas não passarem? O que farei? E quando eu tiver os meus ataques insanos e inconseqüentes querendo sumir ou, simplesmente, me autodestruir e você não estiver lá com o seu lindo sorriso, como será? Estarei perdido. Estarei fugindo. Fugindo de mim mesmo...A sua voz angelical me trazia tanta lenidade, me fazia flutuar num céu azul, ou, velejar amorosamente nesse imenso e turbulento mar que é a vida. A sua face é como uma flor vermelha, tão delicada e ao mesmo tempo tão carente precisando de um amor, precisando de um carinho que tire do peito toda esta dor.

A despedida nunca foi o meu forte, aliás, eu não tenho pontos fortes, a não ser, a minha linda e desastrosa grosseria, né? Tem isso também, você tinha uma paciência tão mágica de lidar comigo, sei que não há outra saída, aliás, eu nunca quis ser um problema em sua vida... Eu preciso ter a certeza que estará feliz, assim vou poder sorrir quando sentir vontade de chorar, assim, poderei parar de chorar desde já, assim, quem sabe, um dia a gente pode novamente um dia se encontrar...Nunca esqueça o que te ensinei, nunca ignorarei o que aprendi...Leve contigo a última flor que lhe dei, não há muito sentido por aqui, já avisto novamente aquele caminho de trilhas sem árvores e perdido.

Incontáveis abraços.

Do seu eterno, Carlo Lagos.

Obs: Não, não sou uma pessoa tão doce quanto aparento, quanto dizem que sou. E ela parecia ser a única a entender isso. Tenho sim, coração, gosto de amar, amo ser amado. Às vezes, sou um esquisito doce. Um amor em pessoa com sonhos e um coração desfragmentado em busca da felicidade. Estar é enviada a uma grande amiga. O tempo não dita as amizades, ele supera tudo, ele nos aproxima novamente. Espero que a nossa estrada da vida se cruze novamente. Um brinde à nossa amizade!

Lagos.

11 comentários:

  1. Nossa ,você é super sincero em suas palavras.
    mas eu acredito que assim como você eu também escrevo palavras que não emitem ser tão doces assim,
    eu entendo cada palavras tua!


    temos que parar de fumar né? risos.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Sem palavras para expressar qualquer um sentimento.Suas palavras são mágicas!Apresento então,fatos em palavras(rs.)Acho melhor você parar de fumar heim!

    Beijos da sua grande amiga.

    ResponderExcluir
  3. me pareceu tão real, tão sincero!
    é triste perceber isso, mas se for pra ser o destino ainda reserva muitas surpresas pros dois!
    beijo :)

    ResponderExcluir
  4. Nossa Carlo vc me surpreende a cada diia .. Parabéns LINDAS palavras .. Meninoo não consigo para de viir aki rsrs .. Bjão e mais uma veez amey seu texto.

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo o texto.Bem sincero!
    bjos
    mah

    ResponderExcluir
  6. Sorte de quem recebeu essas palavras tão sinceras.
    Que em 2010 você continue assim, a brilhar, espero lhe conhecer mais.
    Boa sorte, beijos!

    ResponderExcluir
  7. Lindo texto. Que o destino ainda reserve algumas surpresas, que o destino ainda entrelace os caminhos. E que você continue sempre tendo essa incrível sensibilidade encantaora. Ah, malditas despedidas... :/

    ResponderExcluir
  8. Quanta sinceridade Carlo. Eu queria ter coragem de dizer tudo isso assim, até falando dos meu inúmeros defeitos, mas eu sou tão medrosa. E sempre me calo.

    ResponderExcluir
  9. Que lindo.
    O texto ficou bem sincero.

    bjus =*

    ResponderExcluir
  10. gostei demais... vc foi leve, natural e simples nessa carta. Foi firme e franco.
    gostei tanto...

    gosto de cartas, gosto das suas palavras.
    sempre.


    beijos.
    niiflor

    ResponderExcluir

Pense o que quiser, escreva o que puder, mas, por favor, seja sempre sincero.