Minha foto
Palavras são doenças esperando cura. Quando digo o que sou, de alguma forma, eu o faço para também dizer o que não sou.

domingo, 18 de abril de 2010

Fio fino da navalha.

As suas asas de anjo já existem, sua estrada sempre esteve pronta...Seu caminho pode ser curto e longo, o que você prefere? Ah, prefere o momentâneo, aquele que te traz a felicidade agora, mas que não te roube levando a sua felicidade indo embora Com a sua felicidade vai partindo também a nossa hora e nela vou indo antes que seja tarde de mais. Eu não sei pra onde o meu barco está indo, mas sei que a água já está invadindo. Não foram as 5 gramas de cocaínas da noite passada que me levou do nosso amor, também não adianta pôr a culpa naquelas cartas do seu ex namorado que encontrei. O motivo de eu ir embora é você. Sim, sem paz de espírito o meu anjo da guarda se ala, a minha vida perde fala e caminha pra vala.

Meu amor, sei que você ama o calor do nosso amor, mas eu só sei sonhar em dias frios, mesmo sendo naqueles em que o fio fino da navalha me causa arrepios. A ferida ainda me fere, e perceba que só estou meia fera em meio a esta química moderna com ultrapassadas baladas cínicas e observadora do seu modesto amor. Eu te quis e me desfiz. Não senti as pernas mudarem o destino traçado. Tudo bem, nunca gostei de andar por onde alguém já tenha pisado. Te digo que hoje ando meio abandonado. Foi ontem, tem umas 25 horas, pode ter sido no horizonte de qualquer aurora. Pode ter sido pelo silêncio ressecado, tanto faz, e ainda te digo que foi por ter sido mal amado.

Te envio aquele abraço que trocamos.

Vander Lee - Farol

Lagos.

25 comentários:

  1. "Eu te quis e me desfiz."

    De tanto ler textos vazios por aí, sinto falta de vir aqui. Consegues fazer com que eu me sinta outra pessoa, ou até mesmo me ache dentro de suas palavras.

    ResponderExcluir
  2. "Tudo bem, nunca gostei de andar por onde alguém já tenha pisado"
    Então siga por outra direção. Não parece mais ser tão arriscado, pois quando se está só e sem esperanças, o arriscado torna-se fuga da rotina.
    Encontrar-se em outros paralelepípedos soa reconfortante agora.

    ResponderExcluir
  3. "Eu te quis e me desfiz"
    O amor tem dessas manias.. :)

    Belo!

    ResponderExcluir
  4. "A ferida ainda me fere, e perceba que só estou meia fera em meio a esta química moderna com ultrrapassadas baladas cínicas e observadora do seu modesto amor."
    Meeeu Deuus, parece que eu to vendo o meu amor falando isso. HDISAUHDIUAS. Mas então, mesmo que tudo isso esteja acontecendo, aquela que um dia fez vc sentir borboletas voando no seu estômago ainda pode fazer tudo voltar. Acho que dependendo do que tenha acontecido, talvez uma nova chance vai valer a pena. :D
    Ta lindo *-*
    Beijoos e obrigada por seguir.
    Mandy

    ResponderExcluir
  5. Texto um pouco mais intenso do que os outros teus.
    São esses, os mais subjetivos e ao mesmo tempo objetivos, que eu não tenho muito o que comentar.

    Desculpe a ausência! sem querer aliviar minha culpa... é essa vida corrida do mundo capitalista!
    abraço

    ResponderExcluir
  6. ah meu bem *--*
    Gostei desta parte: "Mas só sei sonhar em dias frios, mesmo sendo aqueles em que o fio fino da navalha me causa arrepios..."
    Me identifiquei tanto... Acho que esse é o bom de ler o que as pessoas escrevem ver que alem de si mesmo, existem outros que sabem como voce se sente e ainda tem um pouco de cada um em torno de si.
    Meus beijos, esta otimo ♥

    ResponderExcluir
  7. "...Eu te quis e me desfiz. Não senti as pernas mudarem o destino traçado..."

    Que lindo isso. Tocante, no mínimo. Belo texto. Beeejo pra você, boa semana.

    ResponderExcluir
  8. Amores,seus encontros e desencontros.
    Lindo demais como td que vem de ti.
    Adoro-te
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. ah, adorei! quanta profundidade nesse adeus!

    ResponderExcluir
  10. Faz tempo não passo aqui. Ando tão ocupada. Me desculpe !
    Mas sabes que escreve muito bem e que o admiro muito.

    Uma otima semana pra voce.

    um beijo.

    ResponderExcluir
  11. "E não diga que eu fui, po não te amar..."

    braço e bom texto

    ResponderExcluir
  12. Amigo, precisa me fazer chorar... aí ai, quanto sentimento!!!

    "Eu te quis e me desfiz."

    Eu sempre desfaço tudo mesmo querendo tanto, sentimentos são estranhos, doces, confusos, mas tão intensos!!!

    Adoro-te sempre!!!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  13. E como toda dor, um dia passa! toda ferida se cura.. e é bom pensar assim né! =)
    beijos

    ResponderExcluir
  14. "Eu te quis e me desfiz. Não senti as pernas mudarem o destino traçado."

    Adorei! Lindo texto, lindo blog. Tuas palavras simples hipnotizam os leitores. Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá querido. Sempre com suas palavras lindas de amor!!!

    Saudades de passar por aqui!

    Grande beijo!!

    ResponderExcluir
  16. "Coração na mão como o refrão de um bolero"

    Dias iluminados! adoro-te!

    ResponderExcluir
  17. Adorei o blog. To seguindo (:
    ótimo feriado pra ti.

    http://wwwsuavesintonia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Da onde vem toda essa inspiração? da onde vem toda essa serenidade e sinceridade?Quando 'te leio' sinto todos esses sentimentos que você descreve.Você tem uma genealidade.
    Senti saudades, eu voltei, mesmo.

    ResponderExcluir
  19. Gostei Carlinho, e falaando em Vander Lee, perfeito!

    "A ferida ainda me fere e perceba que só estou ainda meia fera em meio a esta quiíma moderna com ultrapassadas baladas cínicas e observando seu modesto amor"

    BeijO
    Fé Fraga.

    ResponderExcluir
  20. Entre o caminho curto e o longo, eu prefiro o mais intenso. Mais forte em cada momento, até na tristeza, isso também me traz algo no final.
    Belo post!

    ResponderExcluir
  21. Encontros, desencontros, encantos, desencantos. Intenso, muito bom, gosto muito de vir aqui por isso.

    E essa música do Vander Lee combina muito bem com suas belas palavras!

    ResponderExcluir
  22. E como nos cansam esses encantos e desencantos. Não só cansam, mas nos desgastam.
    Mais uma vez, que belo texto, Carlo!

    ResponderExcluir
  23. Por onde andas, ein poeta das esquinas? Sinto falta de seus relatos.

    ResponderExcluir

Pense o que quiser, escreva o que puder, mas, por favor, seja sempre sincero.