Minha foto
Palavras são doenças esperando cura. Quando digo o que sou, de alguma forma, eu o faço para também dizer o que não sou.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Acostumar.

Não vai por esse caminho, menina. Você sabe que vai doer. Quando há incompatibilidade mental não adianta insistir. Depois, quando acabar e ficar bem depressiva, não adianta xingar o coração. Ele estava o tempo todo na dele. Bem quieto. Você que resolveu ser teimosa e brincar com a sorte. Vai atrás das suas idéias ilusórias agora. Vê se ela ou Deus quer te ouvir. Não adianta, agora, depois do seu previsto fracasso, querer emparreirar a festa do coração.

Sinto o seu cheiro tão forte, tão dentro dentro dentro de mim. A voz da amorosa Etta James me contornando por cada ponto do meu ser. Tonteando-me em mim, nas curvas de você. Eu só quero te sentir mais. Sentir cada ponto de sua macia vagina em meus lábios, em meu ser, mesmo que por alguns instantes. Ou a vida toda. Só algum tipo de sentimento menos sofrível ou palpável que a dor de saudade. Eu sinto seu cheiro, amor. Eu sinto o cheiro dessa chuva de sentimentos que me deixa com os meus maiores demônios em plena cortesia afetiva.

- Você já acabou com todo o pó?

- Não, ainda tem duas carreiras prontas.

- Não me refiro à cocaína. Falo sobre o pó de nós dois. Do pó que não é branco, é cinza. É indiferente.

Ninguém nunca me ligou ou mandou uma mensagem dizendo que, naquele exato momento, estava pensando muito em mim, ou que precisava – até mesmo de forma exagerada e urgente – saber como estava o meu ser, se precisava de algo. Mas eu sempre corri atrás de todos, atrás de tudo. Atrás dos rastros de amor mal engolidos entre senzalas de corpos, corações e almas mal amadas. Nunca me faltou coragem de me expor, de mostrar quem de fato sou. Sempre me houve foi muita necessidade de ter por perto pessoas que agüentassem o fato de que o meu ser, nem sempre – ainda bem -, vai ser o que eles querem, ou precisam.


Carlo Lagos.

6 comentários:

  1. 'Nunca me faltou coragem de me expor, de mostrar quem de fato sou'

    então, continue assim! :)

    ResponderExcluir
  2. Me vi em algumas palavras.... parecia que vc estava puxando a minha orelha... rs...

    Enfim atualizei meu blog... com todas essas redes sociais parece que as palavras nos escapam...

    Saudade desse seu canto. Estou lendo textos antigos... =)

    bjs!

    ResponderExcluir
  3. parecemos mendingos famintos (não de fome) mas de amor , de carinho , de atenção , de prazer ...


    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Carlinho,
    Eu tb sou mt assim... acho que de umaforma ou de outra pensamos demais no outro e eles nem aí, mas continuemos remando nosso barco e plantando bunitezas.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. é verdade querido



    não podemos jamais nos acostumar a ouvir qq voz, seguir qq caminho, sempre a necessidade do melhor, do que nos faz sonhar..
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Caraco, um texto forte.

    ResponderExcluir

Pense o que quiser, escreva o que puder, mas, por favor, seja sempre sincero.