Minha foto
Palavras são doenças esperando cura. Quando digo o que sou, de alguma forma, eu o faço para também dizer o que não sou.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Sem cansar.

Tu vais chorar em banheiros sujos. Vai olhar o relógio e ver o quanto a hora passa rápida enquanto a tua vida se perder pouco à pouco com os cigarros entre os dedos. Serás abandonada pelo teu pai que trai sua mãe já tem uns oito anos. Vai sentir vontade de sentir o sabor de outro pênis em sua boca quando estiveres com dez segundos pra dizer sim no altar, pro único homem que te tocou em sua vida. Rezar pra mãe Oxum nessas horas não vai valer muito à pena. Acender velas rosas pedindo amor não vai ter livrar daquela amargura do dia 24 de agosto de 1986, às 11:51. Não tem mais jeito, é só a piedade. Piedade oriunda e excercida dentro de você mesmo. Ninguém vai querer saber do aborto que é remoer dores que não tem mais esclarecimentos.

Saber amar é esperar? As grávidas esperam por meses e no final das contas já sabem o resultado. Aquela bosta de neném que todos – inclusive ela – acha lindo. A verdade? Não passa de um mundo fraco e sem viagem. Pastores, Diabos e Rabinos para livrares-te desta maldade. Cocaína e cigarro de filtro amarelo para lhe dar alguma coragem. Chore bem baixinho, faça aquela festinha particular dentro de você mesmo enquanto tens a sensação de seres arremeçada comalguns milhões de merda do sétimo andar. Lembras ainda daquela voz terna e maliciosa que te seduzia? Então, ela se foi. Ela foi até aos correios remeter uma carta e acabou ficando por lá, mesmo não amando ninguém, aquele homem-de-pau-indeciso-e-perfume-forte, conseguiu ser correspondido.

Nós teremos de usar mais repelentes. É, chegando o verão, dear. Têm doenças que matam, têm corpos que molham em excesso o céu-da-boca. Ficamos perdidos entre o dedo anelar – com a broxante expectativa de nos casarmos novamente -, as mentiras mal contadas e o sorriso perfeito. Ninguém vai te procurar quando chegar o final de semana, mas não pense que isso é o fim do mundo, pois, meu bem, quando os que se denominam iluminados vão se deitar é que a gente faz tudo ficar infinito. Não se preocupe com o escuro, nem o teu anjo da guarda safado e nem a tua sombra vai querer te achar quando estiveres por um triz de se perder de vez. O sangue sempre encontra o carpete ao centro da sala.

Carlo Lagos.

3 comentários:

  1. Não quero nunca essa sensação... de uma vontade não saciada.
    Viver tem um sentido muito importante pra mim...

    Assim como você.

    ResponderExcluir
  2. ácido. não concordo por inteiro, e espero não concordar, mas talvez seja porque nasceu uma ponta de esperança dentro de mim que eu não gostaria de trocar por nada que amargure a vida. de um modo ou de outro, viver não é ciência exata, e cada um sente diferente do outro. mas gosto de ler coisas assim. a gente se perde nas entrelinhas, transborda o sentimento do outro, viaja. muito bom, como sempre.

    ResponderExcluir
  3. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderExcluir

Pense o que quiser, escreva o que puder, mas, por favor, seja sempre sincero.