Minha foto
Palavras são doenças esperando cura. Quando digo o que sou, de alguma forma, eu o faço para também dizer o que não sou.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Por que pediu isso,amor(?)?

Eu posso pensar no que fazer em como ficar mais só comigo mesmo. Eu posso planejar um amor cheio de fórmulas mágicas e traiçoeiras. Se você voltar eu me vingo. Se você for eu me arrependo das noites em que dormimos separados. Tenha um pouco mais de modéstia, dear. Eu só queria um amor que soubesse florescer o mais bonito de cada dia: companheirismo. Aventuras amorosas não me agradam, o amor tem que chegar com todo seu jeito simbólico e tenebroso arrastando as cobertas e lençóis por horas, por anos, por vidas e não somente por um dia. Quando as noites findam sinto ainda mais o vazio do meu quarto. Sinto a dor de um homem sem ter o seu abraço de bom dia, ou aquele sorriso com os olhos puxados querendo poder dormir mais. Não em Mercúrio nem na Terra, estaríamos somente em nós.

Coração, coração, acorda, mas não muito. Você já foi tão indolente. Já fomos tão companheiros e hoje estamos na mesma: distantes, parados, esperando a estação futura e lembrando do inverno passado. Querendo um próximo gole que nunca vem nessa falta de amor e canibalismo em que somos impostos a (con)viver. Tenho tentado alimentar meu coração faminto com sonhos sem muita direção. O cenário é o mesmo dentro de mim, o amor ainda pede pressa, a chuva só cai de forma diferente em Porto Alegre, aqui, no Rio de Janeiro, o Sol é que queima muito. Queima tanto que assa toda essa história de niilismo pra frente e pra trás deixando uma canção sem notas compostas, uma face sem sorriso sincero ou um brilho no coração.

Todos os sorrisos em fotos podem parecer cínicos, mas, por detrás deste cinismo aparente, esconde-se uma verdadeira ternura que preciso partilhar. Comprei um novo pijama, esse com um bolso que fica perto do coração e todos os dias, antes de dormir, desenho em um pequeno pedaço de papel um grande coração, coloco-o no bolso e me deito. É mais uma das minhas tentativas te ter um amor em minha vida. Assim vou sonhando que antes do próximo pôr-do-sol alguém não mais sonharei sozinho pela longa e roxa noite. Quero declarar aos de casa que me encanto com facilidade. Quando o (ador)ar tem mais segredos é no momento em que sentimos que toda aquela eletricidade de uma Capricorniana traz paz e sonhos a um Geminiano que em momento algum pode deixar de ser feliz, oude fazê-la sorrir. E o pior de tudo isso é saber que mesmo se eu jogasse essa carta pela janela do avião mesmo assim esta não voaria. O tempo não voa pra quem tem necessidade de ser feliz e estar junto, ele simplesmente carrega nas costas o peso de todos os sonhos que se tornam insolente com o passar dos dias. Como o mudar dos pijamas.

''Me sinto tão só...
E dizem que a solidão até que me cai bem.''

Carlo Lagos.

Obs: pode tentar hackear meu blog, os meus sentimentos estão em meu coração junto com as minhas palavras e não em uma página de internet. Ousaria tentar hackear meus sentimentos e palavras também? Não teria muita capacidade pra levar em frentre!

9 comentários:

  1. Tentaram hackear aqui? Que imbecilidade...
    Ainda sinto uma solidão nas suas palavras.
    Mas me parece diminuir... Fique bem! :)

    ResponderExcluir
  2. Adorei ler esse texto, embora a solidão, senti um certo conforto em fortes palavras !

    ResponderExcluir
  3. Este texto está maravilhoso! Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Tão bom ver que vcs homens tbm sentem essa dorzinha de amor! ahahahahaha.
    Não pela vingança por tanto que nos fazem sofrer, mas pelo simples fato de mostrar uma fragilidade doce, amável.

    Lindo texto.

    ResponderExcluir
  5. Triste é quando acostumamo-nos com a solidão, com o vazio não preenchido. Ou pior, com o vazio preenchido por dor. E dor não é algo fácil de se suportar...

    ResponderExcluir
  6. A solidão é um caminho escuro. O coração é um abismo. Um sopro de teus sentimentos caem feito chuva no buraco de toda essa insatisfação. Quem pode seguir as leis que o amor constrói?
    Quem? Não sei, só sei. Que eu não posso.
    Um beijo meu querido.

    Ps: Tentaram Hackear? Pelo amor de Deus...

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. As suas palavras foram lidas por mim de forma muito atenta. Primeiramente pela sua introdução...O fato de iniciar o texto falando sobre o amor real, me remete a pensar no quanto não sabemos valorizar esse sentimento. O imediatismo é tanto que hoje só queremos "ficar" e poucos valorizam esse amor o qual traduz em doces palavras. Eu também quero companheirismo, isso sim é amor de verdade. Parabéns pelas belas palavras!

    ResponderExcluir

Pense o que quiser, escreva o que puder, mas, por favor, seja sempre sincero.